Gonçalo Ruivo

Viola d'Arco
Gonçalo Ruivo

Gonçalo Ruivo

Viola d'Arco

Biografia

Gonçalo Ruivo

Nascido em Lisboa, inicia o seu estudo musical na Academia de Amadores de Musica com doze anos de idade na classe de António Jorge Vilaça Lé, nesta classe tem oportunidade de realizar concertos didácticos para crianças da mesma idade a solo e em formação de musica de câmara.
Após dois anos começa a trabalhar com Teresa Beatriz Abreu, violetista formada com François Broos, onde progride na pratica instrumental ate ao 5º grau, continuando durante este tempo a participar como 1ª viola na orquestra da mesma escola e apresentando-se também pontualmente em formações de musica câmara. No 5º grau inicia com a professora Sandra Moura aperfeiçoamento tendo em vista a conclusão do curso, que acontece três anos. No ultimo dos três anos tem o privilegio de conhecer Pedro Saglimbeni Munõz, 1ª viola da orquestra sinfónica portuguesa, com quem faz vários cursos de aperfeiçoamento em masterclasse e paralelamente aulas particulares. Ainda na Academia de Amadores de Musica participa também em cursos ministrados pela 1º viola da orquestra Gulbenkian Barbara Friedhoff.
Após ter finalizado os estudos é admitido na Academia Nacional Superior de Orquestra ( ANSO ) sob a tutela da Orquestra Metropolitana de Lisboa onde inicia estudos com Valentim Petrov, 1ª viola da orquestra Metropolitana, com quem estuda no primeiro ano de estudo nesta academia. Prossegue com Pedro Saglimbeni Munõz que o leva ao exame final. Durante os estudos nesta academia tem oportunidade de realizar masterclasse com nomes como Ana Bela Chaves, Ygor Soulyga, Barbara Friedhoff, Nobuko Imai, April Sommer entre outros.
Trabalhou em formações de musica de câmara com Paul Wakabayashi, Irene Lima, Gareguin Aroutianian, Etienne Lamaison, e outros professores.
Trabalho continuo de orquestra desde a formação na Academia de Amadores de Musica integrando também as orquestras Sinfónica Juvenil, Sinfonia B, A2M ( membro fundador ) entre outras e colaborado com orquestra Gulbenkian, Sinfónica Portuguesa, Orquestra Nacional do Tejo, A2M, Orquestra do Mediterrâneo;
Em musica de câmara tem desenvolvido trabalho em formações existentes de forma pontual e é membro fundador do Quarteto Svindel, Quarteto Polaris, Quarteto Tempus e Emsemble Tetraktis, Cooperativa Musical.
Enquanto docente desenvolve trabalho pedagógico em diferentes estabelecimentos de ensino como Academia de S. Cecília, Conservatório Regional de Musica de Setúbal, Escola das Artes do Alentejo Litoral, Escola Profissional da Beira Interior, Conservatório Regional de Castelo Branco e Conservatório Regional de Musica da Covilhã.