Rui Vieira Nery

rui-vieira-neryRui Vieira Nery nasceu em Lisboa em 1957 e iniciou os seus estudos musicais na Academia de Música de Santa Cecília External Link, prosseguindo-os no Conservatório Nacional External Link de Lisboa. Licenciado em História pela Faculdade de Letras External Link de Lisboa (1980), doutorou-se em Musicologia pela Universidade do Texas External Link em Austin (1990), que frequentou como Fulbright Scholar e bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Professor Associado da Universidade Universidade Nova de Lisboa External Link, orientou um vasto número de mestrados e doutoramentos em universidades portuguesas, espanholas e francesas. É investigador do Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos de Música e Dança e do Centro de Estudos de Teatro. Na Fundação Calouste Gulbenkian foi Diretor-Adjunto do Serviço de Música (1992-2008) e Diretor do Programa Gulbenkian Educação para a Cultura (2008-2012), e é presentemente Diretor do Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas (desde 2012).

Como musicólogo e historiador cultural, é autor de diversos estudos sobre História da Música Portuguesa, dois dos quais receberam o Prémio de Ensaísmo Musical do Conselho Português da Música (1984 e 1991), bem como de largo número de artigos científicos publicados em revistas e obras coletivas especializadas, tanto portuguesas como internacionais. Exerce também uma atividade intensa como conferencista, no plano nacional como em vários países da Europa, nos Estados Unidos e no Brasil. Os seus temas de investigação incluem a problemática do Maneirismo e do Barroco na Música ibérica e os processos de interpenetração cultural na Música portuguesa, do Vilancico à Modinha e ao Fado, bem as Políticas Culturais e a Gestão de Organizações da Cultura.

Como crítico e colunista musical, colaborou nos semanários Expresso External Link e O Independente External Link. É colaborador regular da Antena Dois da Radiodifusão Portuguesa External Link, para a qual foi autor, entre outros, dos programas Sons Intemporais e Matrizes, bem como, com Vanda de Sá, do programa Ressonâncias. Participou em numerosos documentários radiofónicos e televisivos para a RTP External Link, BBC, Radio France, NDR, Al Jazeera, TV Cultura e outras emissoras nacionais e internacionais. Foi consultor musical da Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, da Régie Cooperativa Sinfonia e da Fundação de Serralves. De Novembro de 1991 a Junho de 1992 foi responsável pela conceção do projeto artístico do Centro de Espetáculos do Centro Cultural de Belém External Link. Foi Comissário Nacional para as Comemorações do Centenário da República e Presidente da Comissão Científica da candidatura do Fado à Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade (UNESCO). É Académico Correspondente da Academia Portuguesa da História e da Academia de Marinha e foi condecorado em 2002 com a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique por serviços prestados à Cultura portuguesa e em 2012 com a Medalha de Ouro da Cidade de Lisboa. É ainda Membro Honorário do Fórum Ibero-Americano de Artes e recebeu em 2012 o Prémio CICOP Internacional de Património Cultural Imaterial atribuído pelo Centro Internacional de Conservação de Património. Entre Outubro de 1995 e Outubro de 1997 desempenhou as funções de Secretário de Estado da Cultura no XIII Governo Constitucional. É membro individual do Conselho Nacional de Cultura e do Parlamento Cultural Europeu, bem como Presidente da Assembleia-Geral da Sociedade Portuguesa de Autores External Link.